domingo, 27 de maio de 2012

Biblioteca escolar: relatos da vida real

Tudo é uma questão de perspectiva, e toda experiência gera aprendizado.
Ando num momento que nunca na vida imaginei que fosse possível, em um trabalho que nunca imaginei, numa cidade longe, convivendo com pessoas que pertencem a uma realidade que não é a minha.
Nunca estive tão dura de grana.
Nunca acordei tão cedo pra ir trabalhar.
Nunca tive tão pouco tempo pra curtir a minha casa.
Nunca tive tanto trabalho pra fazer num só lugar.
A biblioteca começa do zero, a partir do momento em que eu entrei nela e acredite, isso é muito trabalho! Ainda mais com poucos recursos e pouco tempo. A todo momento crianças entram e saem, professores retiram materiais como se estivessem em casa. Não todos, mas alguns, mais antigos que se consideram com direitos adquiridos por tempo de serviço.
Hoje à noite, minha janta vai ser o que a minha prima trouxe do restaurante que trabalha.
Amanha, vou vender meus vale transporte pra ter alguma grana pra passar a semana.
E o mais bizarro de tudo isso? Eu não estou me importando.
Acredito que vai melhorar, que isso é temporário e o mais importante, estou aprendendo tanta coisa, mas tanta coisa... nunca imaginei.
Vejo essa galera de movimento estudantil e politicagens e tal, com seus discursos, suas falas, suas teorias... cara, só que nunca vivenciou de perto pode ter opiniões de academia e acreditar que elas pertencem à realidade. O mundo real é muito diferente do que Foucalt diz. Desculpa acabar com a utopia de vocês.
Nos primeiros dias de madrugar, pegar trem, dois ônibus, colégio, crianças, barulho, falta de tudo... sério, chorava toda noite quando chegava em casa. Que saudades do meu estágio fácil e bem remunerado. Que saudade da minha zona de conforto! Hoje, depois de duas semanas e muitos litros de floral, ando bem melhor. Quero aproveitar o melhor dessa experiência.
Ser expulso da zona de conforto é uma experiência traumática, mas muito positiva. Depois que a gente se levanta da queda e acostuma com a poeira da estrada, fica muito mais forte do que jamais imaginou que poderia ser.
Estou nesse momento, descobrindo uma força interior incrível. Além de parcerias incríveis, e uma pessoa maravilhosa, que me trouxe apoio, e me ajudou a levantar. Gato, muito obrigada.
E vamos em frente. Que a vida não espera.
A gente tem que aprender a levantar ainda quando está caindo, pra não ser atropelado.


quarta-feira, 16 de maio de 2012

Mudar?

lugares dos sonhos

Afinal, tudo é uma questão de se adaptar às mudanças que a vida joga na nossa cara...